quarta-feira, 16 de maio de 2018

18 de Maio é o Dia Nacional de Combate a Violência e exploração Sexual contra Criança e Adolescente

O dia 18 de maio foi estabelecido como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes instituído em 18 de maio de 2000 através  da Lei 9970.  (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9970.htm






A data remete ao dia 18 de maio de 1973, quando a Araceli Crespo, de 8 anos, foi raptada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta em Vitória (ES). Os agressores nunca foram punidos.
O dia do desaparecimento de Araceli Cabrera Crespo completa 45 anos no dia 18 de maio  sexta feira. Mesmo apos tanto tempo, a forma como a menina de oito anos despareceu em 1973 continua um mistério. Polícia, suspeitos e familiares se depararam com diversas versões do crime, que permanece sem nenhuma solução. O processo, depois do julgamento e absolvição dos acusados, foi arquivado pela Justiça.
Embora permaneça um mistério, são muitas as especulações e suspeitas levantadas à época. 
O dia do desaparecimento de Araceli, com o passar dos anos, passou a marcar um lembrete para que a sociedade se atente à violência contra as crianças. 

    Corpo encontrado 

Dias após o desaparecimento, em 24 de maio, o corpo de uma criança foi encontrado desfigurado e em avançado estado de decomposição em uma mata atrás do Hospital Infantil, em Vitória.  
Inicialmente, o pai de Araceli reconheceu o corpo como sendo da menina. No dia seguinte, ele negou, afirmando que o corpo não era o da filha desaparecida. Meses depois, após exames, foi constatado que o corpo era mesmo de Araceli.
    Testemunhas e contradições
Durante as investigações, provas e depoimentos misturaram fatos com boatos. Mesmo 44 anos após o desaparecimento de Araceli, o assunto ainda é um mistério. Além de grande parte das testemunhas terem morrido, as que ainda estão vivas se recusam a falar do assunto.Diante dos fatos apresentados pela denúncia do promotor Wolmar Bermudes, a Justiça chegou a três principais suspeitos:
      Dante de Barros Michelini (o Dantinho)
      Dante de Brito Michelini (pai de Dantinho)
      Paulo Constanteen HelalTodos 
os suspeitos são membros de tradicionais e influentes famílias do Espírito Santo.
    Julgamento
Em 1980, o juiz responsável pelo caso, Hilton Silly, definiu a sentença: Paulo Helal e Dantinho deveriam cumprir 18 anos de reclusão e o pagamento de uma multa de 18 mil cruzeiros. Dante Michelini foi condenado a 5 anos de reclusão.
Na ocasião, o juiz Hilton Silly disse em entrevista ao Jornal da Globo que os três foram condenados, porque foi provada a materialidade e a autoria do crime.
"Foi através não só da farta prova testemunhal, mas também, sobretudo, da prova indiciária, que é chamada prova artificial indireta por circunstancial, baseado em indícios veementes, graves, sérios e em perfeita sintonia de causa e efeito com o fato principal", afirmou em 1980.Os acusados recorreram da decisão e o caso voltou a ser investigado. O Tribunal de Justiça do Espírito Santo anulou a sentença por falta de provas.

Fonte: g1.globo.com 



                                                            Globo News 
                                                                    



                                                                 Globo Repórter 1977


Infelizmente ate o dia de hoje, ou seja 16 de maio de 2018,  este bárbaro crime continua impune, sem solução, Arquivado, sem reconhecer o ou os culpados.
As campanhas de combate e enfrentamento a violência e exploração sexual de criança e adolescente cresce diariamente, mas não é suficiente para extirpar esse mal do meio de nossa sociedade. Os milhares de militantes em prol desta causa , não tem sido o suficiente para combater essa que é uma das mais cruéis violências cometidas contra uma criança ou adolescente. 

Passado  poucos meses do crime cometido contra Araceli , outro crime bárbaro contra uma criança acontece em Brasilia , ou seja, em "11 de setembro de 1973, a morte brutal de uma menina de 7 anos abalou para sempre o clima de tranquilidade que pairava sobre Brasília. Apesar da grande repercussão, ninguém foi punido pelo hediondo assassinato"  

         Ana Lídia Braga, 7 anos foi brutalmente assassinada  o corpo da menina foi encontrado em um matagal próximo à Universidade de Brasília. Nua, com os cabelos louros cortados de forma irregular, bem rente ao couro cabeludo, e violentada,Ana Lídia teve a vida interrompida e atirada em um cova rasa no cerrado. 
“A polícia só descansará quando o responsável pela morte da menor for localizado e preso”,     disse o então secretário de Segurança Pública do DF, coronel Aimé Laimaison em 12 de setembro de 1973. 
Tristemente a afirmação do então secretario de segurança , não se cumpriu e ate  o dia de hoje o Caso Ana Lidia continua sem solução e os criminosos impunes ... 
Fonte : 





Estes foram apenas 02 (dois) infelizes exemplos , dentre os  milhares de crimes cometidos contra nossas crianças e adolescentes no Brasil .

Não podemos nos calar ! 
Temos o DEVER de Denunciar! 

Diante  de qualquer suspeita em relação á Violência cometida contra criança e / ou Adolescente Disque 100 , procure os órgãos de defesa de seu Município , Conselho Tutelar, Ministério Publico , Vara da Infância e Juventude, CREAS, CRAS , dentre outros , só NÃO fique Calado , seja você a voz de quem sofre.  



quarta-feira, 2 de maio de 2018

18 de Maio é o Dia Nacional de Combate a Violência e exploração Sexual contra Criança e Adolescente

Dia 18 de Maio é o Dia Nacional de Combate a Violência e exploração Sexual contra Criança e Adolescente, por isso nesse mês estou intensificando minhas ações, Colocando  me a disposição, para dividir com vocês em um dialogo sensível e ao mesmo tempo técnico, minhas experiencias neste importante combate!   
Para isso conto com vocês ! 
Articulem junto a rede de proteção de  seu Município, e vamos juntos Combater essa Violência! 


Entre em contato e leve para sua cidade uma palestra com um sensacional depoimento de Superação!
Islei Peixoto;
whatsApp / fone = 31-985863429
isleipeixotonl@gmail.com
@isleipeixoto